A Tribuna/Santos - Cubatão terá restaurante Bom Prato


Cubatão contará, ainda neste ano, com um restaurante Bom Prato do Governo do Estado, que serve refeições balanceadas por apenas R$ 1.00. Segundo o prefeito Ademário Oliveira (PSDB), a primeira unidade no Município será instalada no prédio da Rua Cidade de Pinhal, no Parque Fernando Jorge, e deverá servir 1.200 refeições por dia: café da manhã e almoço.

O prédio, um imóvel ao lado da subsede do Sindicato dos Metalúrgicos em Cubatão, próximo à Rua São Paulo, onde no passado funcionou a Cozinha da Comunidade, passará por uma ampla reforma. O imóvel está a 200 metro da Igreja Matriz, na Avenida Nove de Abril.

O local tem cerca de 1.500m² e com a reforma deverá abrigar uma cozinha industrial toda de aço inox, uma câmara fria e outra quente, além de um salão de refeições e banheiros.

O Bom Prato é um programa de segurança alimentar do Governo do Estado, criado em dezembro do ano 2000, com o objetivo de oferecer à população de baixa renda refeições saudáveis e de alta qualidade, a um preço acessível.

O almoço, com 1.200 calorias – composto por arroz, feijão, selada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época) -, tem custo de R$ 1,00. Já o café da manhã tem leite com café ou achocolatado, ou iogurte, pão com margarina ou requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de R$4,00 calorias em média, custa R$ 0,50.

Apoio

O projeto executivo de recuperação do imóvel e adequação está sendo feito em parceria com a Vale Fertilizantes.

Segundo o secretário municipal de Assistência Social, Sebastião Ribeiro do Nascimento Zumbi, a reforma e readequação do prédio é imprescindível para que a edificação obtenha o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

Ele acredita que dentro de dois meses o projeto executivo esteja concluído. A Vale também disponibilizou seu escritório de consultoria para ajudar o Município. “Tentaremos levantar esse recurso em três frentes: junto às indústrias e fábricas de nossa cidade; às organizações não governamentais nacionais e internacionais; e por meio do Governo do Estado. Neste momento de crise financeira por que passa Cubatão, as parcerias tornam-se fundamentais, pois não deixaremos de realizar e construir”, conclui.

Voltar para o topo