Bom Prato de Taboão da Serra tem aumento de 200 refeições diárias

A unidade passou a servir 1.400 refeições por dia, no almoço; aumento aconteceu na segunda-feira (07/08)

Na segunda-feira, dia 7 de agosto de 2017, o Bom Prato de Taboão da Serra passou a servir 1.400 refeições por dia, no almoço. A cota diária era de 1.200, representando um aumento de 16% para a população da cidade. O número de refeições no café da manhã continuou de 300 por dia.

O restaurante popular da região metropolitana de São Paulo está localizado na Rua Firmino Vieira Gonçalves, número 162, em Parque São Joaquim, no mesmo complexo do Poupatempo local. A ampliação de cotas da unidade, gerenciada pela entidade Projeto Povo da Periferia, aconteceu devido à grande procura.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, Floriano Pesaro, garantir a segurança alimentar da população paulista é a prioridade do programa do governo estadual. "Estamos atentos às necessidades de quem mais precisa e tomamos essa importante decisão de aumentar a cota de refeições do Bom Prato Taboão da Serra. Essa iniciativa garantirá que mais pessoas tenham acesso a um almoço de qualidade, saudável e com preço a R$ 1,00”.

Desde sua inauguração, em maio de 2017, o Bom Prato de Taboão da Serra já serviu mais de 66 mil de refeições. O investimento total do Governo do Estado de São Paulo, até final de junho deste ano, é de R$ 1,1 milhão para custeio das refeições e infraestrutura da unidade.

Sobre o Bom Prato

Criado há 16 anos, a rede de restaurantes populares oferta alimentação balanceada e de qualidade (almoço e café da manhã) com foco na população de baixa renda, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

No Estado de São Paulo, o Bom Prato é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e atende diariamente mais de 85 mil refeições. Desde a inauguração em 2000, já serviu mais de 183 milhões de refeições e investiu mais de R$ 494 bilhões no programa.

Há 52 unidades em funcionamento, sendo 22 localizadas na Capital, nove na Grande São Paulo, seis no litoral e 15 no interior. O almoço tem custo de R$ 1,00. A alimentação é balanceada com 1.200 calorias, composta por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época).

Já o café da manhã é oferecido leite com café, achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de 400 calorias em média, custa R$ 0,50 ao usuário. Em setembro de 2011, o café da manhã foi implantado em todos os restaurantes.

Assessoria de Imprensa

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social

(11) 2763-8323/8131

www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br

Voltar para o topo