Medidas de prevenção para os Programas Bom Prato e Vivaleite

Entenda como funcionarão estes Programas em meio a pandemia do novo Coronavírus

BOM PRATO

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social informa que o horário de funcionamento de todas as unidades dos restaurantes populares Bom Prato será estendido, sem alterar suas respectivas cotas diárias de refeições.

As refeições de café da manhã serão servidas de segunda à sexta-feira, das 07h às 09h;

As refeições de almoço serão servidas de segunda à sexta-feira, das 10h às 15h;

A fim de evitar filas e aglomerações, as cotas diárias de refeições serão distribuídas proporcionalmente ao longo do horário de funcionamento e as filas serão organizadas reservando uma distância segura entre os frequentadores.

Todas as unidades do Restaurante Popular Bom Prato irão adotar as seguintes medidas:

• Disponibilizar dispensadores de álcool gel ou solução alcoólica antibacteriana;

• Divulgar e reforçar medidas de higiene das mãos para os usuários;

• Divulgar e reforçar a etiqueta respiratória para os usuários - se tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com cotovelo flexionado ou lenço de papel, bem como evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas;

• Reforçar os procedimentos de higiene e desinfecção de utensílios, equipamentos e ambientes de convivência;

• Reorganizar o layout da área de refeição, de modo que os usuários permaneçam com a maior distância possível entre si, preferencialmente respeitando a distância mínima de 1,5 definida pelos órgãos normalizadores;

• Coibir o acesso de trabalhadores com sintomas respiratórios ou febre;

• Orientar o imediato encaminhamento de funcionários e usuários que apresentarem sintomas respiratórios ou febre aos serviços de saúde.

Os colaboradores que manipulam alimentos e/ou mantem contato direto com o público deverão intensificar os procedimentos de higiene definidos na Resolução SEDS n.º 13/2018, na Portaria SMS n.º 2619/2011 e CVS n.º 05/2013.

VIVALEITE

Os beneficiários do Programa Vivaleite, idosos ou gestantes que tem crianças cadastradas, podem indicar um responsável para retirar o leite. Este responsável deverá estar com o RG do cadastrado, ou o número do NIS, ou em alguns casos, a carteirinha que algumas entidades disponibilizam.

No caso das Entidades que possuem idosos que recebem e fazem a entrega do leite, estes devem ser substituídos por alguém que não esteja encaixado no público de risco.

Assessoria de Imprensa

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo

Fone: (11) 2763-8323 / (11) 2763-8131

socialsaopaulo@sp.gov.br

Voltar para o topo